Exportar este item: EndNote BibTex

Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://bibliotecatede.uninove.br/handle/tede/698
Tipo do documento: Tese
Título: A institucionalização do conhecimento científico em sustentabilidade ambiental resultante das teses e dissertações em administração no Brasil.
Autor: Parisotto, Iara Regina dos Santos 
Primeiro orientador: Souza, Maria Tereza Saraiva de
Primeiro membro da banca: Walter, Silvana Anita
Segundo membro da banca: Pereira, Raquel da Silva
Terceiro membro da banca: Côrtes, Pedro Luiz
Quarto membro da banca: Lopes, Evandro Luiz
Resumo: Um dos grandes desafios enfrentados pela humanidade nas últimas décadas é o problema ambiental. No final da década de mil novecentos e sessenta, grupos de cientistas iniciaram as críticas dos efeitos prejudiciais do impacto das atividades econômicas sobre o meio ambiente, provocado pelo desenvolvimento industrial acelerado e conseqüente crescimento econômico, ocorrido após a segunda guerra mundial. Em termos de pesquisa esse campo de estudo que iniciou na década de 1990, somente se consolidou a partir do início deste século. Este trabalho tem por objetivo analisar o processo de institucionalização do conhecimento em sustentabilidade ambiental, por meio da comunicação científica proveniente dos resultados de teses e dissertações em programas de pós-graduação stricto sensu em Administração no Brasil, propondo um modelo conceitual de análise partindo da tese de que de que o conhecimento científico em sustentabilidade ambiental, gerado a partir das teses e dissertações produzidas nos programas de pós-graduação Stricto Sensu de Administração do Brasil, é institucionalizado por meio da comunicação científica, influenciada por mecanismos isomórficos coercitivos. Os mecanismos coercitivos estão relacionados a influência exercida pela CAPES, tendo em vista o seu papel de órgão avaliador dos programas de pós-graduação.Para tanto procedeu-se uma pesquisa descritiva e explicativa, com amplitude de análise longitudinal, em um período de doze anos de formação e quatorze anos de publicações. A coleta de dados foi documental e a análise dos dados foi qualitativa, apoiada na análise de conteúdo e quantitativa, por meio da estatística descritiva e indutiva, com o uso de correlações. Foi possível concluir que das 14621 teses e dissertações produzidas nos programas de pós-graduação stricto sensu em Administração, 3,7% foram geradas na área de sustentabilidade ambiental. Esses trabalhos geraram 563 publicações, das quais apenas 8,7% do total das publicações foram institucionalizadas. Diante desse contexto e da influência exercida pela CAPES na pesquisa brasileira, como se constatou nesse estudo, a que se refletir sobre alguns aspectos como: as regiões norte, nordeste e centro-oeste representam importantes biomas brasileiros, nos quais o desenvolvimento de pesquisa, em sustentabilidade ambiental estão sendo pouco exploradas; a redução da pontuação dos eventos, desistimulando completamente o investimento das IES e dos programas de pós-graduação stricto sensu em Administração e como consequência a participação dos pesquisadores nesses eventos que comprovadamente contribuíram para institucionalização do conhecimento, já que 81,6% dos artigos que se institucionalizaram haviam antes sido publicados em eventos qualificados pelo CAPES, mostrando claramente não só a influência da CAPES no processo de institucionalização do conhecimento, mas a importância dos eventos para o aprimoramento das pesquisas. A falta de estímulo para o trabalho de avaliação dos artigos, tanto os apresentados em eventos, quanto aqueles que são submetidos a periódicos, desistimulando o pesquisador a tal atividade, o que sem dúvida contribui para a demora na aprovação de artigos em periódicos, uma vez que para atingir a pontuação que coloque o pesquisador no grau de excelente, em nenhum momento se reforça a importância que tem a avaliação no desenvolvimento das pesquisas. É necessário, também, que de forma mais efetiva se estimule publicações dos resultados das teses e dissertações, tendo em vista que 54% desses estudos não tiveram continuidade representando que os esforços de orientação e da confecção desses trabalhos foram praticamente perdidos.
Abstract: Um dos grandes desafios enfrentados pela humanidade nas últimas décadas é o problema ambiental. No final da década de mil novecentos e sessenta, grupos de cientistas iniciaram as críticas dos efeitos prejudiciais do impacto das atividades econômicas sobre o meio ambiente, provocado pelo desenvolvimento industrial acelerado e conseqüente crescimento econômico, ocorrido após a segunda guerra mundial. Em termos de pesquisa esse campo de estudo que iniciou na década de 1990, somente se consolidou a partir do início deste século. Este trabalho tem por objetivo analisar o processo de institucionalização do conhecimento em sustentabilidade ambiental, por meio da comunicação científica proveniente dos resultados de teses e dissertações em programas de pós-graduação stricto sensu em Administração no Brasil, propondo um modelo conceitual de análise partindo da tese de que de que o conhecimento científico em sustentabilidade ambiental, gerado a partir das teses e dissertações produzidas nos programas de pós-graduação Stricto Sensu de Administração do Brasil, é institucionalizado por meio da comunicação científica, influenciada por mecanismos isomórficos coercitivos. Os mecanismos coercitivos estão relacionados a influência exercida pela CAPES, tendo em vista o seu papel de órgão avaliador dos programas de pós-graduação.Para tanto procedeu-se uma pesquisa descritiva e explicativa, com amplitude de análise longitudinal, em um período de doze anos de formação e quatorze anos de publicações. A coleta de dados foi documental e a análise dos dados foi qualitativa, apoiada na análise de conteúdo e quantitativa, por meio da estatística descritiva e indutiva, com o uso de correlações. Foi possível concluir que das 14621 teses e dissertações produzidas nos programas de pós-graduação stricto sensu em Administração, 3,7% foram geradas na área de sustentabilidade ambiental. Esses trabalhos geraram 563 publicações, das quais apenas 8,7% do total das publicações foram institucionalizadas. Diante desse contexto e da influência exercida pela CAPES na pesquisa brasileira, como se constatou nesse estudo, a que se refletir sobre alguns aspectos como: as regiões norte, nordeste e centro-oeste representam importantes biomas brasileiros, nos quais o desenvolvimento de pesquisa, em sustentabilidade ambiental estão sendo pouco exploradas; a redução da pontuação dos eventos, desistimulando completamente o investimento das IES e dos programas de pós-graduação stricto sensu em Administração e como consequência a participação dos pesquisadores nesses eventos que comprovadamente contribuíram para institucionalização do conhecimento, já que 81,6% dos artigos que se institucionalizaram haviam antes sido publicados em eventos qualificados pelo CAPES, mostrando claramente não só a influência da CAPES no processo de institucionalização do conhecimento, mas a importância dos eventos para o aprimoramento das pesquisas. A falta de estímulo para o trabalho de avaliação dos artigos, tanto os apresentados em eventos, quanto aqueles que são submetidos a periódicos, desistimulando o pesquisador a tal atividade, o que sem dúvida contribui para a demora na aprovação de artigos em periódicos, uma vez que para atingir a pontuação que coloque o pesquisador no grau de excelente, em nenhum momento se reforça a importância que tem a avaliação no desenvolvimento das pesquisas. É necessário, também, que de forma mais efetiva se estimule publicações dos resultados das teses e dissertações, tendo em vista que 54% desses estudos não tiveram continuidade representando que os esforços de orientação e da confecção desses trabalhos foram praticamente perdidos.
Palavras-chave: Sustentabilidade Ambiental
Modelo de Comunicação Científica
Processo de Institucionalização
Sustentabilidade Ambiental
Modelo de Comunicação Científica
Processo de Institucionalização
Área(s) do CNPq: CIENCIAS SOCIAIS APLICADAS::ADMINISTRACAO
Idioma: por
País: BR
Instituição: Universidade Nove de Julho
Sigla da instituição: Uninove
Departamento: Administração
Programa: Programa de Pós-Graduação em Administração
Citação: PARISOTTO, Iara Regina dos Santos. A institucionalização do conhecimento científico em sustentabilidade ambiental resultante das teses e dissertações em administração no Brasil.. 2012. 158 f. Tese (Doutorado em Administração) - Universidade Nove de Julho, São Paulo, 2012.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: http://localhost:8080/tede/handle/tede/698
Data de defesa: 19-Out-2012
Aparece nas coleções:Programa de Pós-Graduação em Administração

Arquivos associados a este item:
Arquivo TamanhoFormato 
B_Iara Regina dos Santos Parisotto.pdf1,27 MBAdobe PDFBaixar/Abrir Pré-Visualizar


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.