???item.export.label??? ???item.export.type.endnote??? ???item.export.type.bibtex???

Please use this identifier to cite or link to this item: http://bibliotecatede.uninove.br/handle/tede/984
Tipo do documento: Dissertação
Título: Violência escolar: percepções de professores e alunos
Título(s) alternativo(s): School violence: teacher's and student's perceptions
Autor: Penteado, Marcos Ramos 
Primeiro orientador: Baptista, Ana Maria Haddad
Primeiro membro da banca: Fischer, Catarina Justus
Segundo membro da banca: Navas, Diana
Resumo: O texto que segue propõe-se a analisar e a buscar alternativas para combater a violência escolar enquanto construção multifacetada da realidade. Uma vez que a escola é uma agência social, não está isenta ou mesmo neutra nessa problemática que a atinge em seus alicerces e amedronta sua comunidade. Dentre os debatedores do fenômeno, buscam-se nas ideias de Hannah Arendt e Michel Maffesoli as definições e discussões sobre violência (em abordagem geral) e em Eric Debarbieux e Vera Candau, entre outros, as discussões sobre a violência no ambiente escolar como respaldo para este estudo de caso. O ambiente selecionado para tanto foi uma escola pública da rede estadual na cidade de São Paulo (DE Centro-Sul). A grande preocupação da comunidade foi fundamental para a escolha da UE, onde foi aplicada a abordagem etnográfica por proporcionar um contato mais estreito com a escola no seu cotidiano e, por conseguinte, uma maior aproximação com sua realidade. Juntamente com a observação da dinâmica interna da UE, as entrevistas com professores e alunos apoiaram a investigação da percepção desses a respeito do fenômeno e de sua repercussão no cotidiano da escola. Os dados coletados e ideias dos referenciais selecionados, em constante diálogo, conduziram à compreensão da violência na instituição e à confirmação de muitas pesquisas já realizadas – sem pôr à parte as particularidades contextuais. Chegou-se à consideração de que a violência escolar é um fenômeno interno e externo, sendo que a violência institucional que a invade tem maior peso e é universal a todos que nela estão inseridos. Como alternativa para tal, a instauração de uma escola verdadeiramente cidadã e a consideração de sua individualidade são os pontos chave para se promover uma educação libertadora, conforme as propostas de Paulo Freire, não somente nos aspectos técnico-científico, mas também no sócio-afetivo e emocional.
Abstract: The following text aims to analyze and seek alternatives to combat school violence as a multifaceted construct reality. Since the school is a social agency is not free or even neutral on this issue that reaches to its foundations and frightens her community. Among the panelists of the phenomenon it was sought to the ideas of Hannah Arendt and Michel Meffesoli definitions and discussions on violence (general approach) and Eric Debarbieux and Vera Candau, among others, discussions on violence in the school environment as a support for this case study. The setting was selected to both a public state school in the city of São Paulo (DE Centro-Sul), in Ipiranga (southern region). The major concern of the community was crucial for the choice of the UE, where the ethnographic approach was applied by providing a closer contact with the school in their daily lives and therefore closer to their reality. Together with the observation of the internal dynamics of the UE, interviews with teachers and students supported the investigation of perception of these about the phenomenon and its impact on daily life of the school. The collected data and ideas of selected references in constant dialogue, led to knowledge, understanding of violence in the institution and confirmation of many previous studies - without putting aside the contextual particularities. It has been considered that school violence is an internal and external phenomenon, and the institutional violence that invades carries more weight and is universal to all that are inserted in it. As an alternative to this, the establishment of a truly citizen school and the consideration of their individuality are the key points to promote a liberating education, as proposed by Paulo Freire, not only the technical and scientific aspects, but also in socio-affective and emotional.
El siguiente texto pretende analizar y buscar alternativas para combatir la violencia escolar como construcción multifacética de la realidad. Ya que la escuela es una agencia social, no está exento o incluso neutral en este tema que llega hasta sus cimientos y asustar a su comunidad. Entre los panelistas del fenómeno, busque en las ideas de Hannah Arendt y Michel Maffesoli las definiciones y discusiones de violencia (enfoque general) y Eric Debarbieux y Vera Candau, entre otros, los debates sobre la violencia en el entorno escolar como apoyo a este estudio de caso. El entorno elegido para ambos era una escuela pública estatal en la ciudad de São Paulo (DE Centro-Sul). La principal preocupación de la comunidad fue fundamental en la elección de la UE, que se aplicó la enfoque etnográfico para proporcionar un contacto más cercano con la escuela en su vida cotidiana y, por lo tanto, más cerca de su realidad. Junto con la observación de las dinámicas internas de la UE, las entrevistas con los profesores y los estudiantes apoyaron la investigación sobre la percepción de estos fenómenos y su impacto en la rutina escolar. Los datos y las ideas de referencias seleccionadas recogidos, em el diálogo constante, llevaron a la comprensión de la violencia en la institución y la confirmación de muchos estudios anteriores - sin dejar de lado las particularidades contextuales. Se ha considerado que la violencia escolar es un fenómeno interno y externo, así como la violencia institucional que invade tiene mayor peso y que es universal para todos los que se inserta. Como alternativa a esto, el establecimiento de una escuela verdaderamente ciudadana y la consideración de su individualidad son los puntos clave para promover una educación liberadora, de acuerdo con las propuestas de Paulo Freire, no sólo en los aspectos técnicos y científicos, sino también en socioafectivo y emocional.
Palavras-chave: violência
violência escolar
cotidiano escolar
violence
school violence
school quotidian
violencia
violencia escolar
rutina escolar
Área(s) do CNPq: CIENCIAS HUMANAS::EDUCACAO
Idioma: por
País: Brasil
Instituição: Universidade Nove de Julho
Sigla da instituição: Uninove
Departamento: Educação
Programa: Programa de Mestrado em Gestão e Práticas Educacionais
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: https://bibliotecatede.uninove.br/handle/tede/984
Data de defesa: 6-Mar-2015
Appears in Collections:Programa de Mestrado em Gestão e Práticas Educacionais

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Marcos Ramos Penteado.pdf Marcos Ramos Penteado810,13 kBAdobe PDFDownload/Open Preview


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.