???item.export.label??? ???item.export.type.endnote??? ???item.export.type.bibtex???

Please use this identifier to cite or link to this item: http://bibliotecatede.uninove.br/handle/tede/1894
Tipo do documento: Tese
Título: Capacidade funcional e qualidade de vida de crianças com cardiopatia congênita acianótica
Título(s) alternativo(s): Functional capacity and quality of life of children with acyanotic congenital heart disease
Autor: Nascimento, Marcia Helena Machado 
Primeiro orientador: Lanza, Fernanda de Cordoba
Primeiro membro da banca: Lanza, Fernanda de Cordoba
Segundo membro da banca: Corso, Simone Dal
Terceiro membro da banca: Jorge, Luciana Maria Malosá Sampaio
Quarto membro da banca: Parente, Andressa Tavares
Resumo: Introdução: O shuttle teste modificado (STM) é útil para avaliar a capacidade funcional de crianças com cardiopatia congênita (CC) por ter característica incremental e ser cadenciado externamente. Objetivo: Avaliar a capacidade funcional e a qualidade de vida de crianças com CC no pré-operatório e após procedimento cirúrgico. Método: estudo transversal (Estudo I) e longitudinal (Estudo II), realizado no hospital público (grupo cardiopatia -GCard) e na escola de ensino médio (grupo controle- GC). Participaram do Estudo I crianças CC (n = 32, 6-12 anos) vs grupo controle (crianças saudáveis, n = 32). Estudo II, crianças com doença cardíaca congênita acianótica de 6 a 12 anos no pré-procedimento hemodinâmico ou cirúrgico (pré, n=32), até 15 dias de alta hospitalar (pós 15, n=21), e 30 dias de alta hospitalar (pós 30, n=27). Em ambos estudos foram avaliadas a função pulmonar, qualidade de vida (PedsQL4.0) e shuttle teste modificado. A frequência cardíaca (FC), a pressão arterial (PA) e a saturação de oxigênio foram avaliadas em repouso, no decorrer do teste, no pico do exercício e na recuperação do teste. Resultados: No estudo I, a distância percorrida foi maior no GC (829,6 ± 129,0 m) comparado ao GCard (644,6 ± 160,7m), p <0,001. No pico do exercício no STM foram observadas diferenças estatisticamente significativas nas variáveis frequência cardíaca, SpO2, dessaturação no pico, distância percorrida, sendo essas menores no grupo cardiopata em relação ao controle, p<0,05. O PedsQL 4.0 foi pior no GCard, e houve correlação significante entre a distância percorrida e o domínio da atividade física (r = 0,95, p<0,001). No estudo II, a capacidade funcional estava reduzida (69,1± 17,5%prev) no pré; com piora significante no pós 15 (55,7 ± 18,0%prev) e melhora da após 30 dias de alta (78,9 ± 12,8), p<0,05. O duplo produto (PAS x FC) não foi estatisticamente diferente no pré, pós 15 e pós 30, entretanto, ao corrigir essa variável pela distância percorrida, notam-se que os pacientes no pós 15 tiveram valores 31 (23 – 39mmHg/bpm) significantemente maiores comparado ao pré-operatório 25 (19 – 29mmHg/bpm), p<0,05. Correlação significante entre a distância percorrida e o domínio psicossopcial das crianças entre 8-12 anos (PedsQL 8-12) na fase pós 15 (r=0,70, p=0,002). A distância percorrida correlacionou-se com o domínio atividade criança (5 -7 anos) na fase pós 15 (r=0,90, p=0,03). Conclusão: Crianças com cardiopatia congênita apresentam redução na capacidade funcional e da qualidade de vida. A correção do defeito anatômico no coração resulta em melhora da capacidade funcional e na qualidade de vida desses pacientes após 30 dias de cirurgia.
Abstract: Introduction: The Modified Shuttle Test (MST) is useful to assess the functional capacity of children with Congenital Heart Disease (CHD) due to its incremental characteristic and for being externally cadenced. Objective: To assess functional capacity and quality of life in children with CHD pre and post surgery. Methods: A transversal (Study I) and longitudinal study (Study II), that took place in a public hospital (heart disease group – GCard) and in a high school (control group – GC). In Study I the participants were children with CHD (n=32, 6-12 years old) vs control group (healthy children, n=32). In Study II, children with acyanotic congenital heart, age 6-12 years old, were assessed before hemodynamic or surgery procedures (pre-procedure, n=32), up to 15 days after hospital discharge (post-procedure 15, n=21), and up to 30 days after hospital discharge (post-procedure 30, n=27). Both studies assessed lung function, used the pediatric quality of life inventory (PedsQL4.0) and the Modified Shuttle Test (MST). Heart rate (HR), blood pressure (BP) and oxygen saturation were assessed during rest, during the test, at peak exercise, and in the recovering time. We considered HR x BPsystolic as the Double Product. Results: In Study I, the distance achieved was higher in the GC group when compared to the GCard group (644,6 ± 160,7m, p <0,001). At peak exercise we observed statically significant differences in the variables heart rate (bpm and %prev), SpO2, desaturation at peak exercise, and distance achieved, where these variables were lower in the heart disease group in comparison to the control group, p<0,05. PedsQL4.0 was worse in the GCard, and there was significant correlation between distance achieved and the dominance over the physical activity (r = 0,95,p <0,001). Study II showed that functional capacity was reduced in the pre-procedure (69,1 ± 17,5%prev), with significant worsening in the post-procedure 15 (55,7 ± 18,0%prev), and recovery in the post-procedure 30 (78,9 ± 12,8), p<0,05. The double product was not statistically different during the assessed periods of time, although, when correcting this variable with the distance achieved, we found that the children in the post-procedure 15 (23 – 39, median=31) had significant higher values when compared to the post-procedure (19 – 29, median=25), p<0,05. There was significant correlation between distance achieved and the psychosocial domain of the children age 8 to 12 years old (PedsQL 8-12) in the post-procedure 15 (r=0,70, p=0,002). The distance achieved was correlated to the item physical activity (5 -7 years old) in the post-procedure 15 (r=0,90, p=0,03). Conclusion: Children with congenital heart disease has reduced functional capacity and quality of life. Additionally, the surgery to correct the disease increses the functional capacity and quality of life after 30 days of the procedure.
Palavras-chave: cardiopatias congênitas
crianças
qualidade de vida
capacidade funcional
congenital heart disease
children
quality of life
functional capacity
Área(s) do CNPq: CIENCIAS DA SAUDE
Idioma: por
País: Brasil
Instituição: Universidade Nove de Julho
Sigla da instituição: UNINOVE
Departamento: Saúde
Programa: Programa de Pós-Graduação em Ciências da Reabilitação
Citação: Nascimento, Marcia Helena Machado. Capacidade funcional e qualidade de vida de crianças com cardiopatia congênita acianótica. 2018. 139 f. Tese( Programa de Pós-Graduação em Ciências da Reabilitação) - Universidade Nove de Julho, São Paulo.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: http://bibliotecatede.uninove.br/handle/tede/1894
Data de defesa: 5-Mar-2018
Appears in Collections:Programa de Pós-Graduação em Ciências da Reabilitação

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Marcia Helena Machado Nascimento.pdfMarcia Helena Machado Nascimento4,62 MBAdobe PDFDownload/Open Preview


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.