???item.export.label??? ???item.export.type.endnote??? ???item.export.type.bibtex???

Please use this identifier to cite or link to this item: http://bibliotecatede.uninove.br/handle/tede/894
Tipo do documento: Dissertação
Título: Efeitos do treinamento físico combinado em modelo experimental de disfunções cardiometabólicas associadas à privação dos hormônios ovarianos
Autor: Conti, Filipe Fernandes 
Primeiro orientador: Angelis, Kátia de
Primeiro membro da banca: Costa, Dirceu
Segundo membro da banca: Irigoyen, Maria Claudia Costa
Resumo: Após o advento da menopausa observa-se aumento da incidência de hipertensão, resistência à insulina, diabetes tipo 2 e de morbi-mortalidade. Por outro lado, o treinamento físico aeróbio tem sido recomendado como uma importante terapia para a prevenção e o tratamento de disfunções cardiometabólicas, em função dos reconhecidos benefícios dessa abordagem em diferentes populações. Mais recentemente, o treinamento físico resistido vem sendo recomendado em complemento ao aeróbio (treinamento combinado) nas diretrizes de tratamento de doenças cardiovasculares e metabólicas, no entanto, pouco se sabe sobre os benefícios fisiológicos dessa abordagem. Além disto, os mecanismos envolvidos nos eventuais benefícios do treinamento físico dinâmico combinado foram muito pouco estudados após a privação dos hormônios ovarianos, principalmente em presença de disfunções cardiometabólicas. Desta forma, o objetivo do presente estudo foi avaliar os efeitos do treinamento físico dinâmico combinado em ratas ooforectomizadas hipertensas submetidas à sobrecarga de frutose. Foram utilizadas ratas Wistar controles (CS) e ratas espontaneamente hipertensas (SHR): submetidas (HOS) ou não (HS) à privação dos hormônios ovarianos e ooforectomizadas submetidas à sobrecarga crônica de frutose sedentárias (HOFS) ou ao treinamento físico combinado (HOFTc). Inicialmente foi padronizado um teste de carga máxima e um protocolo de treinamento resistido em escada para ratos. O treinamento físico combinado foi realizado em esteira e escada adaptadas para ratos em dias alternados. Parâmetros de função cardiovascular, de regulação autonômica cardiovascular, metabólicos e de capacidade física e sua relação com alterações em parâmetros de estresse oxidativo e de inflamação foram avaliados no tecido cardíaco. Foi observado que a associação (hipertensão+ooforectomia) induziu aumento da pressão arterial (PA) (HOS: 164±5 vs. HS: 146±6 mmHg) e peso corporal em relação as ratas hipertensas. Já a associação de fatores de risco (hipertensão+ooforectomia+frutose) induziu aumento adicional PA (HOFS: 174±4 mmHg), aumento da frequência cardíaca (HOFS: 403±12 vs. HOS: 348±16 bpm) e dos níveis de triglicérides sanguíneos (HOFS: 160±8 vs. HOS: 125±6,4 mg/dl), prejuízo na sensibilidade à insulina e na modulação autonômica cardiovascular, além de prejuízos no perfil de estresse oxidativo (razão redox da glutationa: HOFS: 8,94±0,8 vs. HOS: 13.00±1,4) e inflamatório (TNF-α: HOFS: 65,8±9,9 vs. HOS: 31.7±8.6 pg/mg de proteína) desses animais. Por outro lado, o treinamento físico combinado foi capaz de reduzir a PA (HOFTc: 158±4 mmHg), promover bradicardia de repouso (HOFTc; 303±5 bpm), normalizar os níveis de triglicérides (HOFTc: 137±4,7 mg/dL), a sensibilidade à insulina, modulação autonômica vascular, reduzir o dano a membrana celular, aumentar a defesa antioxidante e o balanço redox da glutationa (HOFTc: 11,94±1,1), além de reduzir o TNF-α (HOFTc: 33,1±4,9 mg/dL) e aumentar IL-10. Dessa forma, os resultados do presente estudo demonstram que a associação de fatores de risco promoveu prejuízos adicionais em parâmetros metabólicos, cardiovasculares, autonômicos, de estresse oxidativo e inflamatórios, de metabolização e que o treinamento físico combinado foi eficaz em atenuar e/ou normalizar tais disfunções.
Abstract: After the menopause there is an increased in the incidence of hypertension, insulin resistance, type 2 diabetes and morbidity. In other hand, aerobic exercise training has been recommended as an important therapy for the prevention and treatment of cardiometabolic disorders. Recently, resistance exercise training has been recommended as a complement to aerobic (combined training) for the treatment of cardiovascular and metabolic diseases. However, the physiological effects of this approach is not well understood. Moreover, the mechanisms involved in the possible benefits of combined exercise training have been few studied after ovarian hormone deprivation, especially in the presence of cardiometabolic disorders. Thus, the aim of this study was to evaluate the effects of exercise training combined in hypertensive ovariectomized rats submitted to fructose overload. Wistar rats and spontaneously hypertensive rats (SHR) were divided in: control (C), hypertensive (HS), hypertensive ovariectomized (HOS) and hypertensive ovariectomized submitted to fructose overload sedentary (HOFS) and trained (HOFT). Initially, the maximum load test and resistance training protocol in ladder adapted to rats were standardized. The combined exercise training was performed on a treadmill and ladder adapted to rats in alternated days. Cardiovascular function, autonomic cardiovascular modulation, metabolic and physical capacity were evaluated, as weel as the relationship of these variables with cardiac oxidative stress and inflammation. The association of hypertension and ovariecyomy induced increase in arterial pressure (AP ) (HOS: 164±5 vs. HS: 146±6 mmHg) and body weight in relation to hypertensive rats. The association of risk factors (hypertension + ovariectomy + fructose) induced an additional increase in the AP (HOFS: 174±4 mmHg), increased heart rate (HOFS: 403±12 vs. HOS: 348±16 bpm) and blood triglycerides (HOFS: 160±8 vs. HOS: 125±6.4 mg/dl), induced an impairment in the insulin sensitivity and cardiovascular autonomic modulation, oxidative stress (redox ratio of glutathione: HOFS: 8.94±0.8 vs. HOS: 13.00±1,4) and inflammation (TNF-α- HFOS: 65.8±9.9 vs. HOS: 31.7±8.6 pg/mg protein) of these animals. Moreover, the combined exercise training was able to reduce the AP (HOFTc: 158±4 mmHg) and heart rate (HOFTc: 303±5 bp), to normalize the triglyceride levels (HOFTc: 137±4.7 mg/dL), insulin sensitivity, vascular autonomic modulation. Moreover training reduced cardiac lipoperoxidation and increased antioxidant defense and redox balance of glutathione (HOFTc: 11.94 ± 1.1) and reduced the TNF- α (HOFTc: 33.1±4.9 mg/dL) and increased the IL-10. The results of this study demonstrate that the association of risk factors promoted additional impairment in metabolic, cardiovascular, autonomic, inflammatory and oxidative stress parameters; and the combined exercise training was effective in reduce and/or normalize these dysfunctions.
Palavras-chave: menopausa
síndrome metabólica
treinamento físico combinado
modulação autonômica
biomarcadores
menopause
metabolic syndrome
combined exercise training
autonomic modulation
biomarkers
Área(s) do CNPq: CIENCIAS DA SAUDE
Idioma: por
País: BR
Instituição: Universidade Nove de Julho
Sigla da instituição: UNINOVE
Departamento: Saúde
Programa: Programa de Pós-Graduação em Ciências da Reabilitação
Citação: CONTI, Filipe Fernandes. Efeitos do treinamento físico combinado em modelo experimental de disfunções cardiometabólicas associadas à privação dos hormônios ovarianos. 2013. 120 f. Dissertação (Mestrado em Saúde) - Universidade Nove de Julho, São Paulo, 2013.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: http://localhost:8080/tede/handle/tede/894
Data de defesa: 11-Dec-2013
Appears in Collections:Programa de Pós-Graduação em Ciências da Reabilitação

Files in This Item:
File SizeFormat 
Filipe Fernandes Conti.pdf6,48 MBAdobe PDFDownload/Open Preview


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.