???item.export.label??? ???item.export.type.endnote??? ???item.export.type.bibtex???

Please use this identifier to cite or link to this item: http://bibliotecatede.uninove.br/handle/tede/2026
Tipo do documento: Tese
Título: Pedagogia da oprimida: a contribuição feminina para o pensamento pedagógico brasileiro
Título(s) alternativo(s): Pedagogy of the oppressed: the femine contribution the brazilian pedagogical thought
Autor: Romão, Natatcha Priscilla 
Primeiro orientador: Severino, Antonio Joaquim
Primeiro membro da banca: Severino, Antonio Joaquim
Segundo membro da banca: Dias, Elaine Teresinha Dal Mas
Terceiro membro da banca: Antunes, Mitsuko Aparecida Makino
Quarto membro da banca: Lorieri, Marcos Antonio
Quinto membro da banca: Silva, Maria de Lourdes Ramos
Resumo: O presente trabalho teve como objeto revelar a presença, ou ausência, da produção feminina na historiografia educacional, uma vez que ela parece ter sido eclipsada nos livros de história sobre a educação e sobre o pensamento pedagógico brasileiro. Por meio desta tese será demonstrado que a invisibilidade da contribuição feminina para as ciências da educação no Brasil certamente resultou das disposições masculinas, conscientes ou inscritas no inconsciente coletivo, de ocultar as produções das mulheres na área da educação. Para tanto, recorreu-se a bibliografias relacionadas à afirmação das mulheres, de modo especial à obra de Elisabeth Badinter, que reconstitui as relações de poder entre homem e mulher ao longo da história da humanidade, isto é, analisa, ampla e profundamente, com reflexões sócio-histórico-antropológicas, as relações hierárquicas entre feminino e masculino. Quanto ao referencial teórico, buscou-se, no legado de Paulo Freire, especialmente em Pedagogia do oprimido (1987), as categorias “opressor”, “oprimido” e “conscientização”, que serviram de base para a compreensão da condição feminina no contexto da educação e do pensamento pedagógico nacionais. As obras de Cecília Meireles, Helena Antipoff e Nísia Floresta foram escolhidas como exemplos expressivos da omissão mencionada. A pesquisa buscou, portanto, visibilizar parte da contribuição dessas educadoras e pensadoras, como forma de revelar e legitimar a importância da produção feminina para um entendimento mais abrangente e mais crítico do conjunto das ações e formulações teóricas no campo de educação brasileira.
Abstract: El presente trabajo tuvo como objeto revelar la presencia, o ausencia, de la producción femenina en la historiografía educativa, ya que parece haber sido eclipsada en los libros de historia sobre la educación y sobre el pensamiento pedagógico brasileño. Por medio de esta tesis se demostrará que la invisibilidad de la contribución femenina a las ciencias de la educación en Brasil ciertamente resultó de las disposiciones masculinas, conscientes o inscritas en el inconsciente colectivo, de ocultar las producciones de las mujeres en el área de la educación. Para ello, se recurrió a bibliografías relacionadas con la afirmación de las mujeres, de modo especial a la obra de Elisabeth Badinter, que reconstituye las relaciones de poder entre hombre y mujer a lo largo de la historia de la humanidad, es decir, analiza, amplia y profundamente, con reflexiones socio-histórico-antropológicas, las relaciones jerárquicas entre femenino y masculino. En cuanto al referencial teórico, se buscó, en el legado de Paulo Freire, especialmente en Pedagogía del oprimido (1987), las categorías "opresor", "oprimido" y "concientización", que sirvieron de base para la comprensión de la condición femenina en el contexto de la educación y del pensamiento pedagógico nacionales. Las obras de Cecilia Meireles, Helena Antipoff y Nísia Floresta fueron elegidas como ejemplos expresivos de la omisión mencionada. La investigación buscó, por lo tanto, visibilizar parte de la contribución de esas educadoras y pensadoras, como forma de revelar y legitimar la importancia de la producción femenina para un entendimiento más amplio y más crítico del conjunto de las acciones y formulaciones teóricas en el campo de la educación brasileña.
The present work aimed to reveal the presence, or absence, of female production in educational historiography, since it seems to have been eclipsed in the history books on education and on Brazilian pedagogical thinking. Through this thesis it will be shown that the invisibility of the female contribution to the educational sciences in Brazil certainly resulted from the masculine dispositions, conscious or inscribed in the collective unconscious, of concealing the productions of women in the area of education. To do so, we have used bibliographies related to women's affirmation, especially the work of Elisabeth Badinter, who reconstitutes the power relations between man and woman throughout the history of humanity, that is, analyzes broadly and deeply, with socio-historical-anthropological reflections, the hierarchical relations between feminine and masculine. As for the theoretical reference, inspired in Paulo Freire’s legacy, especially in Pedagogy of the oppressed (1987) the categories "oppressor", "oppressed" and "conscientization", which served as the basis for the understanding of the feminine condition in the context of the education and Brazilian. The works of Cecília Meireles, Helena Antipoff and Nísia Floresta were chosen as expressive examples of the aforementioned omission. The research sought, therefore, to make visible part of the contribution of these educators and thinkers, as a way of revealing and legitimizing the importance of female production for a more comprehensive and more critical understanding of the set of theoretical actions and formulations in the field of Brazilian education.
Palavras-chave: conscientização
educação
mulher
oprimido e opressor
concientización
educación
mujeres
oprimido y opresor
conscientization
education
woman
oppressed and oppressor
Área(s) do CNPq: CIENCIAS HUMANAS::EDUCACAO
Idioma: por
País: Brasil
Instituição: Universidade Nove de Julho
Sigla da instituição: UNINOVE
Departamento: Educação
Programa: Programa de Pós-Graduação em Educação
Citação: Romão, Natatcha Priscilla. Pedagogia da oprimida: a contribuição feminina para o pensamento pedagógico brasileiro. 2019. 206 f. Tese( Programa de Pós-Graduação em Educação) - Universidade Nove de Julho, São Paulo.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: http://bibliotecatede.uninove.br/handle/tede/2026
Data de defesa: 7-Mar-2019
Appears in Collections:Programa de Pós-Graduação em Educação

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Natatcha Priscilla Romão.pdfNatatcha Priscilla Romão1,55 MBAdobe PDFDownload/Open Preview


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.